Skip navigation

Tag Archives: Pós-Apocalipse

Como já se passou bastante tempo desde que eu comentei Knowing, irei explicar mais da minha idéia para um cenário pós-apocalíptico. A Wired também descobriu que o assunto desperta interesse e começou a publicar matérias sobre o apocalipse geomagnético, também conhecido como solar flare (erupção solar) ou mais popularmente, quando o botijão de gás do forno celestial explode. Antes de mais nada, vou deixar claro que isso pode acontecer a QUALQUER momento e que a nossa civilização não está preparada para enfrentar este desastre.

Nem Nicholas Cage resistiu
Nem Nicholas Cage evitou

As erupções solares liberam a energia de milhões de bombas atômicas que desintegram tudo que encontram pela frente, até mesmo átomos. O plasma aquecido a uma temperatura de milhões de graus Kelvin consegue acelerar partículas elementares a uma velocidade próxima à da luz, produz radiação em todas as freqüências eletromagnéticas e afeta toda a ionosfera terrestre, prejudicando a comunicação via rádio a longas distâncias.

Diferentemente do que o personagem de Nicholas Cage sofreu no filme Presságio, você não vai morrer torrado, calcinado e depois completamente desintegrado pela ação da energia solar. O principal motivo para isto é que a Terra possui um campo magnético que nos protege da ação nociva desses raios solares, defletindo partículas  e amortecendo o impacto delas no nosso planeta. É por isso que nós não moramos em um lugar como Marte, que não possui magnetosfera e que cuja atmosfera foi completamente varrida para o espaço sideral. O que possivelmente vai ocorrer no futuro, sabe-se lá quando, é um apagão em massa por conta dos ventos solares que agridirão as linhas de força e outros equipamentos sofisticados. Isso é um consenso: Cedo ou tarde virá um dos grandes e o estrago vai ser feio.

Peraí Max, ainda não

Peraí Max, ainda não

O problema é que para um cenário de RPG pós-apocalíptico é necessário haver um apocalipse, obviamente. Apenas destruir a infra-estrutura do planeta não vai ser capaz de aleijar a raça humana, já que com tempo e esforço, as coisas lentamente voltariam a ser o que era antes do evento. O que fazer?

Sendo necessário um outro evento que consiga dizimar a maior parte das mentes pensantes, essas sim responsáveis pela reconstrução do planeta, podemos pensar numa gama de eventos, como uma pandemia viral que se espalha rapidamente com a negligência da saúde, a boa e velha guerra mundial nuclear entre potências, uma invasão de extraterrestres que querem limpar nosso planeta, e por aí vai.

É importante salientar que a erupção solar não destruirá a estrutura urbana. Se por algum outro motivo os homens desaparecerem, ainda restarão as cidades fantasmas em perfeito estado de conservação.

Aos que são interessados em jogos pós-apocalípticos, aqui vai um link de um artigo que eu recomendo, dando dicas de utensílios importantes para um personagem carregar.

Anúncios

Do Androids Dream of Electric Sheep? Andróides Sonham Sobre Carneiros Elétricos? Li recentemente este livro escrito por Philip K. Dick, um dos autores mais influentes no que toca ao universo cyberpunk, e que inspirou o famoso Blade Runner. Infelizmente, para meu desgosto, a tradução da Rocco foi “O Caçador de Andróides” e me custou 39 reais para 254 páginas de diversão.

O livro foi publicado em 1968 e mostra um mundo que passou por uma catastrófica guerra nuclear, Guerra Mundial Terminus. Analisando o contexto em que foi escrito e lendo o próprio livro, fica claríssimo que o autor tentou alertar sobre os perigos de uma guerra dos EUA versus URSS, tanto é que a União Soviética (e possivelmente os Estados Unidos) se faz presente no livro. A camada do ruinoso pó tornou o mundo um ambiente hostil devido a radioatividade: A maioria dos animais foi extinta e quase todos os humanos migraram para fora da Terra. Aqui sobraram apenas uns poucos persistentes e os deformados pelo pó.

O Caçador de Andróides narra a história de Richard Deckard em 2021, um caçador de andróides ilegais. Utilizados como ferramentas escravizadas nos planetas-colônia, alguns se rebelam, assassinam seus donos e fogem para a Terra, buscando uma vida livre se disfarçando em meio aos humanos. Rick recebe a missão de caçador quatro modelos Nexus-6, que são quase impossíveis de serem distingüidos de seres humanos normais mas que sofrem da mesma característica de todos os dróides: não possuem empatia, são incapazes de ter emoções, apenas fingindo em situações convenientes, mas sem nunca de fato sentir algo.

Como o livro foi escrito há muito tempo, não espere ver nenhuma menção a terapia genética, internet, celular e coisas que só foram surgir muito tempo depois. Esse é o grande ponto da trilogia do Sprawl de Neuromancer: É quase uma profecia da invenção da internet como vemos hoje. Muito do pessimismo da uma guerra mundial nuclear é perceptível através da natureza arrasada e do preconceito que as vítimas de mutações induzidas pela radioatividade sofrem.